Corte e Costura

Papo de Granja

Diário de Bordo de Jowfish.
Terça-feira, 30 de novembro de 2010.

      Quem diz que animal não pensa... É porque nunca viu a Granja dos Bichos.
      Navegando todo serelepe pimpão... Ouço, trazido pelo vento, uma história de uma Granja que era TOTALMENTE comandada por animais.
      Pois é... A minha primeira reação foi exatamente a mesma. Eu ri.
      Mas de tanto que o vento me soprava, acabei ficando curioso... E resolvi ver...
      Apertei o botão de onipresença do navio e fiquei espiando os movimentos do lugar.
      A Granja tinha o nome de Granja do Solar, quando era comandada por Jones, um homem que fazia os animais trabalhar como escravos e comer apenas o suficiente pra viver. Sem descanso e sem diversão...
      Até que os animais ficaram bravos... E fizeram uma revolução.
      Esse episódio ficou conhecido como “A Revolução dos Bichos” e foi narrada por um tiozão chamado George Orwell.
      O mais impressionante é que os animais tinham tanto carisma que eu conseguia, fácil, fácil, comparar cada um deles com pessoas que conheço.
      Os porcos (que xinguei muito), astutos e traiçoeiros; os cavalos, ingênuos e exemplares (tá, nem todos); as ovelhas (N-U-N-C-A um mesmo ser recebeu tanto xingamento, na minha vida... Ô raça do inferno!), que não calam a boca e só atrapalham; os burros, observadores e descrentes...
      Interessante ver o poder da palavra na mente das pessoas (no caso da Granja, dos animais) e o ESTRAGO que uma simples mudancinha de nada pode causar.
      Andei do começo ao fim da história da Granja dos Bichos rápido e com muita empolgação...
      E saí de lá com raiva... Porque vi o quanto o mundo precisa ser mudado.
      Obrigado, George Orwell... Graças a você, meu querido, os três porquinhos nunca mais serão os mesmos, pra mim...

Angel in Tears disse...

Um dos melhores e mais significativos livros que já li.

Lii disse...

É um livro que eu preciso reler.
Eu tinha 7 anos, quando o meu querido pai me forçou a ler o livro, como vários outros. Então... foi demais para a minha mente na época hehe