Ah, sério? Legal...

Nem só de texto vive o escritor

Uma imagem vale mais que mil palavras. Esse é um lugar-comum que às vezes parece desmerecer o ofício de um escritor. Será?

Temos que nos desvincilhar do condicionamento de que uma imagem é apenas algo que vemos com os olhos. Há muito tempo atrás, Platão relacionou a imagem diretamente à ideia. Aliás, a palavra imagem tem origem no grego eidos, que também originou a palavra eidea – ideia.
Portanto, ideia e imagem estão relacionados em sua origem conceitual.
Segundo o idealismo de Platão, imagem – ou ideia – é uma projeção criada pela mente a partir dos sentidos que acessam o objeto. Já para Aristóteles, a imagem é “capturada” pelos sentidos e representada mentalmente ao indivíduo. Nem preciso dizer qual das duas teorias ganhou mais respeito – e deixemos a discussão para os filósofos – mas gostaria de destacar como o conceito de imagem mudou nos dias de hoje. Consideram imagem apenas um desenho, uma projeção na tela do cinema ou da TV, um quadro... mas a verdade é que TUDO é imagem. Afinal, tudo nasce a partir da ideia – eidos.
As imagens sempre foram usadas pelo ser humanos para comunicação. É muito fácil nos lembrarmos de pinturas rupestres, hieróglifos e kanjis para ilustrar isso. Mas por que não ir mais a fundo? Por que não nos lembrarmos que as mímicas também são imagens? Tenho certeza de que muito antes da escrita, o homem utilizava esse meio de comunicação. Mas se isso não basta para convencê-lo, que tal mencionar que os caracteres que você está lendo exatamente agora em seu monitor também são imagens?
Palavras são imagens. Infelizmente, nosso método de ensino ocidental não nos permite perceber isso. No oriente, as palavras são ensinadas associando cada ideograma a uma ideia. Quando você aprende o kanji de “árvore”, por exemplo, aprende que o ideograma realmente se parece com uma. Você visualiza a árvore para aprender e memorizar o kanji. Assim, exercita imagem e texto ao mesmo tempo, se é que existe alguma diferença entre os dois.
Agora vamos ao que realmente importa aqui. Sabemos que quando lemos uma história, logo imaginamos a história acontecendo em nossa mente. Aqui está a maior e mais poderosa relação ideia/imagem. Mas para que isso dê certo, é preciso o autor compreender que não é porque ele lida apenas com texto que a imagem não tem nenhum papel no processo. A imagem não poderia ser mais importante! Afinal, se o autor tem uma ideia, a imagem existe em sua mente. Seu papel como escritor é simplesmente transformar essa imagem mental em um outro tipo de imagem – a escrita – de forma que ela se transforme novamente na mente do leitor em imagem mental.
Mas para isso, é necessário povoar sua imaginação com imagens diversificadas. São elas que ganharão vida em sua mente, realização proezas e viverão aventuras. E para “capturar” algumas imagens e gerar outras, é necessário absorvê-la em seu universo de referência. Então, não basta apenas ler livros. Leia livros, veja filmes e, principalmente, viva e observe tudo o que existe ao seu redor. Experimente. Faça coisas diferente e conheça pessoas novas. Quanto mais variedades da realidade você absorver, mais convincente será sua ficção.
Claro que também existe a opção de utilizar ilustrações. Tudo é válido para levar ao público a imagem que surgiu no mundo das ideias de modo fiel ao leitor. Em ultimo caso, você pode contar sua história em quadrinhos, as famosas HQs. Já experimentou?


Este é um post especial feito por um convidado. Daniel Cavalcante é roteirista e editor do site Quadrinize!, que oferece textos e matérias sobre criação de histórias, personagens, ambientação, técnicas de roteiro e muitas outras ferramentas para quem quer contar uma história com eficácia. Escreve as histórias dos quadrinhos Afonso e Amanda, disponíveis no site. Editor da Virtual Infinitum.
Confiram o texto do Capitão Jowfish como convidado especial no site Quadrinize!

Larissa Vicentini. disse...

Nossa, Cap.!

Parabéns! Tenho que me lembrar de citar você futuramente: "Então, não basta apenas ler livros. Leia livros, veja filmes e, principalmente, viva e observe tudo o que existe ao seu redor. Experimente. Faça coisas diferente e conheça pessoas novas."

Hmm, o Aristóteles é firmeza, mas preferi a de Platão também XD. Quanta cultura de madrugada... Palma, palma. Não priemos cânico.
Agora entendi, mais que nunca, algumas coisas que você sempre disse... Cada vez mais, concordo mais e mais.
Nossa! A alfebetização ocidental atual, então, é super favorável a criar leitores funcionais... O.o Inibem a criatividade, esponteidade, senso crítico, capacidade...

Agora vou olhar hiraganas e kanjis com outros olhos, por mais que eles me pareçam difíceis.
Pois é, imagem é idéia. As palavras são imagens... Em todas há entrelinhas e política... Saber enxergar o mundo é algo fenomenal. É a vida contemplativa e ativa (isso acabei de ler em Aristóteles para prova de Ética)...

Hahsuhausa... Enfim... Muito bom!

Tripulação disse...

Uhul! Que bom que gostou, Laroca... Mas esse post não fui eu quem escreveu XD... Foi o Daniel. Ele fez um post especial pra cá... E eu fiz um post especial pra lá. Mas mandei pra ele seus parabéns XD.XD.XD.