O que é?

Diário de bordo de Jowfish.
Domingo, 15 de maio de 2011.
- Ah, Capi... todo mundo sabe o que é leitura, vai!
“É. Todo mundo sabe.”
Intão vai... Falaí o que é leitura.
- É fácil, Capi. Presta atenção. Leitura é quando tu pega um livro e...
Tá, tá... e além disso?
- Além de livro?
“Jornal, revista...”
Não, não. Além desse tipo de leitura.
“Como assim?”
Uai... além da leitura do alfabeto. Que tipo de leitura existe mais?
- Erm... tem a... a do...
“Aquela do... Não sei...”
- Ai, Capi! Sei lá... Falaí, vai.
Primêro, a gente tem que entendê que leitura é a “arte do entendimento”.
“Arte do entendimento?!”
- Tipo... compreensão?
Tamém. Mas tamém pode sê alguma coisa a vê com decodificação.
- Péra... tipo decifrar código e tals?
Sumemo.
“Me perdi... explica melhor.”
Siguinte... préstenção...
Ocês tão ligado no que é crítica, né?
- Claro, né, Capi! DÃ... crítica é quando alguém dá uma opinião boa ou ruim sobre alguma coisa.
Muito bem. E pra falá de alguma coisa, a gente precisa lê antes, né? Precisa entendê o que tá vendo, né?
“Pelo menos isso, né?”
Intão, vamo supor que vamo vê um filme... se a gente só assistí, provavelmente ele nnum vai fazê muito sentido.
MAS, se a gente LER o filme, a gente começa a entender cada parte... a gente começa a pegá as jogadas do cara...
- Por exemplo?
Por exemplo: quando a gente vê um personagem, a gente sabe s’ele é simpático, chato, feliz, triste, idiota ou qualquer outra coisa.
“E o que isso tem a ver?”
Uai... tu acabou de fazer uma leitura do personagem. Ocê leu a personalidade dele.
“LEITURA DE PERSONALIDADE?!”
- Ai, Capi... que viagem...
Parece que num faz sentido, né?!
- Totalmente.
É porque isso já tá tão automático, que a gente faz sem percebê.
Outro exemplo: olhe esse desenho e diga o que parece:
“Erm... Parece uma árvore...”
- É... um pouco, mas lembra... Tipo uma coisa bem antiga...
Pois é. E tá certo. É uma árvore... Mas isso não é um desenho.
“O QUÊ?!”
- COMO NÃO?!?!?!
Essa daí é a palavra ‘árvore’ escrita em japonês.
- TU TÁ DE SACANAGEM, CAPI?!?!?!?!
Não, não...
“O senhor está dizendo que acabei de ler japonês achando que era um desenho?!”
Exatamente.
- Pera... Pera... então... então dá pra ler imagens também?!
ÔRRA!!! E como!
Por exemplo, quando a gente olha prum quadro, dá pra gente dizê se o dia tá quente, frio, se é um lugar feliz, triste e blá blá bla...
“É... é verdade...”
- Ai, que choque de realidade, Capi!!! Fiquei bege, agora.
Aí, ó! Ôtra coisa que dá pra ler.
- O quê?! Cores?!
Sim, sim!
Que nem tu dissaí que ficou bege. Por que tu usô ela e não vermelho?
- Porque vermelho quer dizer raiva... PELOS DENTES DO KRAKEN!!! Entendi!!!
“Então explica”
- Tipo assim... tudo o que a gente diz que uma coisa quer dizer, é sinal de que a gente tá lendo...
- Por exemplo: se a gente olha pra alguém e diz que ele tá triste, ou emburrado ou feliz, é porque a gente leu o rosto dele e tals.
- E quando a gente lê um desenho, dá pra gente saber onde é, se o clima tá tenso, ou se tá tudo tranquilex...
Perfeito.
“Calma... Então quer dizer que é possível ler TUDO?”
Sim.
- Tipo... Tudo tudinho?!
Tudinho inho.
“Mas então... Não tem MESMO como alguém não gostar de ler... porque todos fazem isso desde que nasceram!!!”
Muito bem.
- Então por que o pessoal acha que não gosta de ler?
Porque não mostraram pra eles a coisa certa... Ou mostraram a coisa certa do jeito errado...
- E qual seria o jeito certo?
ISSO, minha querida...
- Tá, tá... outro rum... entendi. Até mais...

Angélica disse...

Olá capitão! Gostei da sua visão de que nós "lemos" tudo o que está a nossa volta, e concordo completamente com ela. Acho que um dos pontos chaves do problema da leitura de livros propriamente ditos é acostumar as pessoas a fazerem leituras longas. Pense bem: todo mundo lê todos os dias. Internet, revistas, legendas de filmes, anúncios publicitários, etc...mas todas essas são leituras curtas e rápidas! O negócio é que poucas pessoas tem o hábito de ficar bastante tempo em uma mesma leitura. E para ensinar essas pessoas a apreciarem as leituras maiores nós voltamos aos pontos discutidos no último post: estímulo à leitura, dar ao leitor um livro com um tema/estilo que o interesse, etc. Enfim, esse é um assunto que dá bastante pano para manga (como diria minha avó),xD.

OPL disse...

pra manga, meia, melancia, jaqueta, abacate, abóbora, rúcula, jiló... P-D

A geração de hoje já tá acostumada com a informação rápida. Já que ela pode ver VÁRIAS coisas ao mesmo tempo... e muitas coisas a atraem, claro.

Então pra que ele vai perder tempo numa coisa longa, se tem muito mais coisa do mesmo assunto e menor na net?! Pra muitos isso não faz sentido, é perda de tempo.

[e em alguns casos, é mesmo...]

Daí vai do professor, se não for um livro de romance, indique um de contos, oras poxas... ou um filme legendado...

Opção é o que não falta...