Domesticando a Criatividade

Diário de bordo de Jowfish.
Sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011.

“Tá...”, tu já começa, “Xeu ver se entendi”
Deixo.
“Todo mundo tem criatividade...”
Certo.
“Mas então... Uns tem mais que os outros?”
... Quem te falou isso?
“Não... É que... Tipo... Eu sento pra escrever uma redação que minha professora pede... E não sai nem um parágrafo direito... E tem tanta gente escrevendo livros...”
Ah, sim... A famosa redação “Minhas Férias”... E-C-A!!!
Não existe essa história de mais ou menos criativo. Todos são criativos. Ponto. O que acontece é que alguns praticaram um pouco mais... Alguns “domesticaram” a criatividade.
“Ah, sim... Não entendi nada...”
Olha só: Se somos obrigados a fazer alguma coisa, já começamos bloqueados. Imagine escrever SEMPRE a mesma coisa, então!!!
“Mas é só escrevendo que ‘domesticamos’ nossa criatividade?... É que eu não gosto muito de escrever, sabe...?”
Há! Muito longe disso, meu querido...
“Não vem com leitura também não... Não sou muito fã de livros...”
Dexeu falar?
“Tá...”
Primeiro que “ler” não é só em livros, revistas etc...
“COMO não?!”
Nhah... Isso é assunto pra outro post.
O fato é que, se quiser pegar as mãos da criatividade, tu vai precisar VIVER!
Assista filmes, peças teatrais, shows musicais, circo, corra, escale montanhas, nade, pule, pesque, converse, faça amigos, brigue, bata, coma, perdoe, amaldiçoe, morra...
“Morrer?!”
Quê?! Não, não... Me empolguei... Maus...
Enfim, o que eu quero dizer é: VIVA!
Saia e faça alguma coisa. Pode até ler livros, revistas ou o que quer que seja.
No fim do dia, antes de dormir, repasse em sua cabeça o que tu fez naquele dia.
“Quê?!”
Isso! Conte pra você mesmo o que fez o dia todo.
“Mas eu já sei o que eu fiz.”
Então é um ÓTIMO momento pra criar um amigo imaginário. Faz de conta que ele tá com a perna quebrada, e não pode ir com você. Conte a ele o que tu fez.
“Mas...”
O Zé ficou em casa te esperando o dia INTEIRINHO... O mínimo que ele merece é saber com foi seu dia, né?!
Quando tu ver que consegue contar seu dia todo pro Zé tranquilamente, é hora de começar um diário.
“EU?! DIÁRIO?! ISSO É COISA DE MU--”
Se terminar essa frase, Marujo, te ranco uns dois dentes! Não admito preconceitos em meu navio!
O diário é pra que tu escreva a parte que mais gostou naquele dia. Seja uma conversa com a tia Maricota, ou o soco no Jão Pula Muro, ou a vitória do seu time no fim do mundo.
Escreva lá falando o que aconteceu... E pode colocar por que tu acha que aquilo foi tão legal, ou importante.
Escreva EXATAMENTE como tu fala. O “pra” continua “pra” e o Xeuver [ou Xover] continua assim. NÃO MUDA!!!
Quando tu perceber, já tá escrevendo.
SÓ ENTÃO, depois de perceber que tu pode escrever, e que gosta disso [ou não], comece a escrever na norma padrão da língua [com os “para” e “deixe-me ver”].
Depois que tu começa a escrever... Um livro não é uma meta tão difícil de se alcançar.
Vendo pelo lado bom... Pelo menos fica uma coisa menos chata...


Larissa Vicentini. disse...

'Se terminar essa frase, Marujo, te ranco uns dois dentes! Não admito preconceitos em meu navio!"

Uh! Senti firmeza... =P

É gostoso ter um diário. Além de desenvolver a criatividade, a eloquência... Parece que ajuda também na memória... E relê-los anos depois é bem divertido!

Beijão, capitão!!

IMPÉRIO DOS DEUSES Olimpianos disse...

É isso aí capitão, gostei de ver o incentivo à leitura e escrita. E claro, só se aprende escrever, escrevendo! Partiquem! essa dica do Capitãi Jowfish foi ótima, aproveitem.
À propósito capitão, convido-lhe para participar do BOOK TOUR do PELOS PODERES DOS DEUSES OLIMPIANOS, caso tenha interesse!
http://www.imperiodosdeuses.blogspot.com/
Um beijão,
Sarah Micucci (autora)

Tripulação disse...

Tem que ser firme, mesmo... Tem uns marujos aí que vou te contar, viu.....P-|

Tripulação disse...

Convite aceito, Saritcha!!! Só esperando minha vez...

Lii disse...

Que borboleta de maçã linda! *---------------*
(outro comentário super construtivo)