Quem tem imaginação?

Diário de Bordo de Jowfish.
Segunda-feira, 31 de janeiro de 2011.

Esse mundo não se cansa de me surpreender... Nem seus humanos.
Esses dias, quando paramos para tomar um pouco de água (já que a do mar é um tantinho salgada), encontramos um pessoalzinho meio triste. Andavam pra lá e pra cá... Pareciam perdidos.
Capitão Sandstorm, com todo o seu carinho pelos outros [aham! É mais fácil ele querer estudar o povoado...], quis ver o que estava acontecendo e ajudar aquele povoado... Por muito pouco não o deixo pra trás... Sorte dele que é esforçado.
Ao chegarmos lá, percebi que as casas eram todas iguais... As roupas eram todas iguais... O modo de falar era igual... Os nomes eram iguais... A VIDA era igual... Respirei fundo umas três vezes para não arrastar Sandstorm de volta pro navio.
Reuni todas as pessoas dali e perguntei quem já havia escrito um livro...
Ninguém.
Perguntei o porquê.
“Não temos capacidade para isso, Capitão.”
AAAAAAAAAAAH, não!
Isso eu não podia deixar. Uma pessoa dizer que não tem imaginação?! Que absurdo é esse agora?! Como eu quis levá-los até Fofoquilha.
Na mesma hora, entreguei uma imagem para cada uma. A mesma imagem: Uma mulher chorando em frente a uma casa desmoronada com uma frase dizendo: “mulher perde dois filhos e marido”.
Pedi, então, que cada um escrevesse, atrás da figura, o que haviam pensado... Sem espiarem a resposta do outro, já que todos teriam a mesma resposta [uma PINOIA que iam!].
E não foram.
Comecei, então a lê-las:
“Quem pensou que eles morreram soterrados pela casa?”
Um grupo levantou a mão.
“Quem pensou que morreram de alguma outra forma?”
Outras pessoas levantaram.
“Quem pensou nos sentimentos da mulher?”
Mais um grupo.
“Quem pensou que era uma pegadinha e sairia procurando a câmera escondida?”
Muitos riram, e alguns levantaram a mão.
“Então vocês têm Imaginação.”, disse. E comecei meu sermão [como todo capitão que se preze faz pra não perder sua tripulação...].
“Como podem dizer que não têm imaginação, mas me dão várias respostas para a mesma coisa?”
Aos poucos, os rostos foram mudando de confusos para esclarecidos.
Conversando, percebi que tem gente que acha que Imaginação é aquilo dentro de nossas cabeças. Outros acham que Imaginação é aquilo que passa dentro das cabeças dos outros. Tem gente que acha que Imaginação é aquele arco-íris que aparece toda a vez que o Bob Esponja fala.
E todos estão certos.
O que muita gente por aí não entende é que Imaginação é tudo aquilo que alguém é capaz de fazer. Seja em atos ou pensamentos. Oras bolas, é preciso Imaginação pra escrever uma peça, mas também é preciso Imaginação pro ator conseguir transformar aquele palco numa floresta, ou numa grande cidade, ou num céu rodeado de anjinhos.
Carrego até hoje uma frase de um antigo sábio físico: “Nesta vida, nada se cria e nada se perde. Tudo se... Copia” [perfeito]. Então usei alguns exemplos que todos já ouviram (menos eles, claro):
“Tudo que construímos, começamos pela parte mais simples, ou a mais óbvia. Não adianta levantar uma casa pelo teto. Não faz sentido criar uma rede de esgotos se não começarmos pelos buracos, ou com a escolha dos canos adequados.”
“E como sei se tenho Imaginação ou não?”
“Como uso minha Imaginação?”
Me perguntaram...
Mas esse...
É um assunto pruma próxima conversa.

Lii disse...

Adorei *-*
Nos faz pensar em muitas coisas...
^^