Coordenadas

Marion Eleanor Zimmer Bradley


Diário de Bordo de Jowfish.
Segunda-feira, 27 de setembro de 2010.

Agora fiquei confuso... Aniversário é, geralmente, uma data feliz... Mas e aniversário de morte?
No último sábado, dia 25, vasculhei suas páginas, diário, e encontrei uma informação interessante.
Onze anos atrás, perdemos uma pirata muito querida:
Marion Eleanor Zimmer Bradley [Bradley... Já ouvi esse nome...]
Lembro-me da época que essa grande capitã era apenas uma Marujinha levada.
Então, por consideração aos velhos tempos, deixarei uma singela homenagem à tão grandiosa figura.
Marion nasceu em Albany, capital do estado de Nova Iorque, no dia 3 de junho de 1930 e morreu em 25 de setembro de 1999, em Berkeley, aos 69 aninhos.
Eram tempos difíceis... Lembro-me de conhecer sua família. Pessoas boas e sem muitas condições. Marion acabou não tendo uma formação tão boa e teve de trabalhar muito cedo.
Mas os ventos começaram a soprar e, aos dezesseis aninhos, sua mãe a presenteou com uma máquina de escrever... O brilho nos olhos dela é algo que não consigo esquecer até hoje.
Com o presente, a menina desembestou a escrever.
O começo é sempre complicado, então ela iniciou sua carreira com romances sensacionalistas. Isso era nos anos 50, se não me falha a memória... Lembro que o pessoal os chamava de “escritores de sucesso fácil”.
Foi “engraçado”, quando ela era casada e tinha um filho, porque ela vendia histórias de sexo e de mistério a revistas de grande tiragem, para sustentar todo mundo.
Mais ou menos por esses tempos, Marion se uniu a um grupo de ativistas chamado Daughters of Bilitis, considerada a primeira organização de direitos lésbicos dos Estados Unidos... Ela sempre foi uma pessoa agitada.
Mais tarde, ela deu vez ao mundo gótico para pagar um curso universitário... As histórias de Darkover (um planeta onde os seres humanos, ao contacto com os alienígenas, adquirem poderes extrapsíquicos) ainda chamam seguidores fervorosos.
Mas ficou mais conhecida com a série As Brumas de Avalon, com a qual conseguiu ficar três meses na lista dos mais vendidos do New York Times, tornando-se uma escritora de prestígio e uma das mais lidas no mundo inteiro.
A série foi publicada em 1979, com quatro volumes, e conta a lenda do Rei Artur, mas a partir da perspectiva feminina. As protagonistas, aqui, são mulheres como Guinevere, Morgana e Morgause, ou seja, todo o universo arturiano teve de ser reformulado.
Ainda nessa mesma linha, Marion lançou, em1987, Presságio de Fogo (lançado no Brasil como "Incêndio de Tróia"), onde a guerra de Tróia é o alvo da visão da mulher (e refeita também).
O universo mítico da Bretanha druida não é esquecido, desta vez, em confronto com o Império Romano com A Casa da Floresta (1983).
Mas, em 1985, o público alvo mudou e a, agora Capitã de Esquadra, Marion Bradley, lançou um novo livro, especialmente destinado ao público infantil... Esse deu água pra muito oceano.
O livro se chamou "A filha da Noite" e foi baseado na ópera "A flauta mágica", de Mozart...
Mas...
Muitos acharam que o livro era uma obra adulta... E inapropriada para crianças...
É... Casos de uma incompreendida.
Não se esqueça que nos lembramos de você, Marion.
E que as ondas do mar a carreguem sob suas espumas relaxantes...
Descanse em paz, Capitã.

Lii disse...

Ok... eu sabia que ela já estava morta... mas eu pensei que fosse mais do que apenas 10 anos!

Eu sou apaixonada por As brumas de Avalon; ganhei o primeiro livro de presente da minha mãe no natal, adorei a história, juntei dinheiro e comprei a coleção inteira. Tenho 2 versões do livro 1, um com a capa vermelha (que ganhei de natal) e o outro com a capa roxa.

Mas nunca fui procurar outros livros da Marion... acho que vou procurar "A filha da Noite" para ler nas férias.

Mey disse...

Eu recomendo Lii, você vai gostar.

Lii disse...

Ahhh *--*
Então com certeza vou ler, Mey!